Saúde

Lesões no CrossFit: tipos, causas e como prevenir.

Por Elias de França & Érico C. Caperuto

 

Quais são os tipos de lesões?

O recente estudo de Hopkins et al., (2017) é o primeiro estudo que identificou o perfil da lesões no CrossFit. Para isso, ele analisou o prontuário hospitalar de 498 indivíduos que reportaram 523 lesões relacionado ao CrossFit no período 2010/2016.  Observe, na Tabela 1,  que o principal tipo de lesão é musculosquelético, sendo as lesões de coluna e ombro como às de maiores ocorrências.

A Tabela 2  descreve que as lesões na região da lombar (83,1% dos casos) e da cervical são as áreas  da coluna que são afetadas.

CrossFit causa mais lesões que outras modalidades?

Apesar de melhoras nas capacidades físicas e metabólicas, o CrossFit é uma modalidade com alta incidência de lesões (ao considerar que é uma modalidade esportiva sem contato físico) (Hak et al., 2013). Por exemplo, apesar de ser enquadrada em uma atividade com finalidade no condicionamento físico (como a musculação, por exemplo) a sua taxa de lesões acaba se tornando alta para uma modalidade com este fim. Estudos têm verificado que as lesões do CrossFit são as mesmas das modalidades de ginástica, levantamento olímpico e de powerlifting (modalidade esportivas, que naturalmente possuem uma alta incidência e prevalência lesões) (Weisenthal et al., 2014), ou seja, uma modalidade de condicionamento físico apresenta uma incidência e prevalência de lesões  equivalentes a modalidades esportivas.

Quais as causas?

Normalmente essas lesões no CrossFit se devem a fatores agudos, ou seja, são relacionados a erros da técnica, de execução dos movimentos ou ainda do aparelho locomotor (músculos e tendões) não estarem preparados para o movimento em si (Weisenthal et al., 2014). A partir do estudo de Weisenthal et al., percebe-se que a responsabilidade das lesões no CrossFit passou-se a ser creditada ao mau trabalho (relacionada ao acompanhamento técnico) desenvolvido durante a prática da modalidade.

Como prevenir?

Se você não tem (1) conhecimento aprofundado em segurança do movimento (por exemplo, conhecer os limites das articulações, implicações da fadiga central e periférico na segurança do aluno, reconhecer as limitações relacionada aos indivíduos, conhecer  as técnicas para diminuir o risco de lesionar a coluna durante o treino) então (3) você precisa de acompanhamento de um coach/profissional*, que tenha esse conhecimento. Estes profissionais são responsáveis por ensino das técnicas de segurança da prática,  por identificar as suas limitações (como limitações de movimento, força, metabólica, lesões anteriores que podem afetar o desenvolvimento do treino, etc.) isso fará com que seu treino seja único, ou seja, sua execução de movimento, à carga a ser levantada e à sequência de exercício será de acordo com as suas capacidades/limitações.

*No referimos ao profissional que tenha no mínimo a graduação acadêmica (por exemplo, educação física, ciências do esporte, etc.) que o habilite a trabalhar com a prática esportiva. Não coloque sua saúde em risco. Certifique-se de que o coach que acompanha seu treino tem formação acadêmica na área!

Referências:

HAK, P. T.; HODZOVIC, E.; HICKEY, B. The nature and prevalence of injury during CrossFit training. Journal of strength and conditioning research/National Strength & Conditioning Association,  2013. ISSN 1064-8011.

HOPKINS, Benjamin S. et al. Impact of crossfit-related spinal injuries. Clinical journal of sport medicine, 2017.

WEISENTHAL, B. M.  et al. Injury Rate and Patterns Among CrossFit Athletes. Orthopaedic Journal of Sports Medicine, v. 2, n. 4, April 1, 2014 2014.

 

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ir para Cima