Emagrecimento

O HIIT com corrida pode induzir maior redução de gordura, quando comparado com o HIIT na bike

A literatura científica geralmente utiliza dois tipos de acessórios para estudar os efeitos do treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT): 1) esteira (para corrida) ou 2) cicloergômetro (para pedalar). Em indivíduos jovens e magros o HIIT tem se mostrado efetivo nestas duas opções de treino [1], mas em indivíduos com sobrepeso ou obesos os resultados dos treinos de HIIT parece não ser tão efetivo.

Recentemente [2], uma meta-análise comparou os resultados proveniente da corrida na esteira e da pedalada e verificou que o treino de HIIT se mostrou eficiente para perder gordura corporal (na população com sobrepeso ou obesa) somente quando utilizado na forma de corrida.

Foi verificado que quando o HIIT foi realizado com corrida havia uma perda de ~2,6 Kg  de gordura e ~3 cm de cintura para um período de ~10 semanas de treino (similar ao treino de endurance; veja os protocolos de treino na Fig). Já quando o treino de HIIT foi realizado somente em cicloergômetro não foi visto diminuição significativa da gordura corporal. Os autores do estudo especulam que essa diferença (maior perda de gordura ao correr) pode estar relacionada ao maior recrutamento de massa muscular que ocorre na corrida, mesmo para uma mesma relativa intensidade de treino (como % da frequência cardíaca ou % do VO2máx).

Estudos que comparam a fisiologia desses dois acessórios tem reportado que o metabolismo energético é diferente (entre eles), para uma mesma intensidade e carga de trabalho [3]. No cicloergômetro, o metabolismo anaeróbio é mais solicitada, isso é um resultado de um trabalho  muscular localizado. Apesar da EPOC ser similar para ambos, há um maior gasto energético na execução da corrida na esteira quando compara a execução pedalada [3].

Esta meta-análise [2] ajuda a desconstruir à hipótese de que para induzir a perda de gordura em indivíduos com sobrepeso ou obesos é necessário um elevado volume de treino de endurance, ao invés de somente subir a intensidade (e realizar o treinamento de forma intervalado- HIIT).

ATENÇÂO: Estamos dizendo que o HIIT (e aparentemente o SIT) no cicloergômetro não é efetivo para reduzir a gordura corporal em curto período de tempo (<16 semanas). Mas ele é efetivo para melhora de outros parâmetros como o VO2máx., pressão arterial, glicose em jejum, colesterol, etc. (está aí um interessante tema para fazer um TCC: comparar os efeitos do HIIT na bike vs corrida nestas variáveis).

Lembrando que não existe somente esses dois modelos de HIIT que foi discutido acima. O HIIT pode ser incorporado em diversas modalidade como natação, simulação de lutas, nos famosos WOD (workout of the Day) do crossfit, séries de exercícios (com pesos ou só com peso corporal) variando os segmentos musculares. Assim, se durante a nossas sessões de treinos de alta intensidade engajarmos a maior quantidade de músculos possíveis (causando uma elevada demanda cardiovascular) conseguiremos  induzir a perda de gordura de forma bem eficaz.

Importante salientar que o efeito na redução da gordura devido ao HIIT pode ser potencializado, ou seja, podemos aliar à uma estratégia nutricional (para perder gordura) ou à mais um método de treino, como o treino resistido (p.ex., musculação) Veja um post que fala de resultados emprisionantes quando há a combinação dessas estratégias.

 

Mais Populares

Ir para Cima