Alimentação / Suplementação

Combinação de creatina e cafeína para melhorar a performance

Por Elias de França

Há um grande debate na literatura sobre o tema “cafeína corta o efeito da creatina”. Como podemos observar na figura abaixo o mecanismo de interação no metabolismo de cálcio seria o fator dessa discussão. Enquanto a creatina facilita e recaptação de cálcio (facilitando o relaxamento muscular) a cafeína faz o mecanismo oposto (dificultando o relaxamento muscular, ao aumentar a liberação de cálcio para o citosol) [1].

Esse efeito de fato ocorre, mas na prática não é suficiente para que haja uma inibição da performance no esporte. O principal mecanismo de ação da creatina é fornecimento de ATP para contração muscular , já o mecanismo da cafeína é por meio de estimulação do Sistema Nervoso Central (SNC) [3]. São dois mecanismos de ações diferentes, enquanto a creatina inibe a fadiga periférica (queda brusca de ATP) a cafeína inibe a fadiga central (diminui a percepção de esforço), mais detalhes veja o trabalho de Morre et al. [3].

Figura retirada de Trexler, & Smith-Ryan [1]

Um recente estudo demonstrou que apesar da cafeína promover um maior gasto de ATP (provavelmente devido ao excesso de liberação de cálcio no citosol) ainda assim promove efeito ergogênico [2], devido a sua potente ação na percepção de esforço. Está bem estabelecido na literatura que a percepção de esforço é determinante para o desengajamento da prática do esporte [5]. Por exemplo, em um estudo do nosso grupo com suplementação de cafeína encontramos uma correlação negativa entre percepção subjetiva de esforça e tempo de exaustão durante o exercício físico intenso [6]. Com esse efeito no SNC, a suplementação de cafeína inibiu um aumento brusco da percepção subjetiva de esforça e aumentou a velocidade na corrida e o tempo para atingir a exaustão.

Tabela retirada de Santana et al. [4]

Também, em outro estudo, recentemente testamos [4] a combinação da suplementação de creatina e cafeína em uma corrida de 10 km, prova em que há presença de fadiga central e periférica. Veja na figura que a combinação da creatina com cafeína foi efetiva para diminuir o tempo necessário para completar a prova. Perceba na Tabela 1 que somente com a suplementação de cafeína não conseguimos observar diminuição do tempo, como pode ser obervado pelo intervalo de confiança ( IC 95% –10.18  a 1.7 minutos, ou seja, alguns indivíduos não melhoraram a performance). Já quando a suplementação foi combinada (CrM+Caf ou CrHCl+Caf) de acordo com o IC95% os participantes diminuíram o tempo quando comparado a situação pré-suplementação.

Concluímos que apesar do efeito antagônico da cafeína e creatina no metabolismo de cálcio, na prática uma suplementação não inibe a outra. Cabe ainda observar que alguns estudos apresentam dados que pode haver essa inibição, esses estudos são discutidos em detalhes em outro post aqui no Exerciência.

 

 

Referências:

  1. Trexler, Eric T., and Abbie E. Smith-Ryan. “Creatine and caffeine: considerations for concurrent supplementation.” International journal of sport nutrition and exercise metabolism 25.6 (2015): 607-623.
  2. Clark, K. S., et al. “Caffeine enhances activity thermogenesis and energy expenditure in rats.” Clinical and experimental pharmacology & physiology (2019).
  3. de Morree, Helma M., Christoph Klein, and Samuele M. Marcora. “Cortical substrates of the effects of caffeine and time-on-task on perception of effort.” Journal of Applied Physiology12 (2014): 1514-1523.
  4. Santana, J. O., de França, E., Madureira, D., da Silva, B. R., & Caperuto, E. C. (2017). Combined effect of creatine monohydrate or creatine hydrochloride and caffeine supplementation in runners’ performance and body composition. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício (RBPFEX), 11(70), 844-854.
  5. Marcora, Samuele. “PSYCHOBIOLOGY OF FATIGUE DURING ENDURANCE EXERCISE.” Endurance Performance in Sport: Psychological Theory and Interventions (2019): 15.
  6. De Franca, E., Xavier, A. P., Dias, I. R., de Souza, R. R., Corrêa, S. C., da Silva, M. A. R., … & das Chagas Caperuto, É. (2017). Caffeine supplementation can make runners run further and improve pace strategy. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, 11(67), 813-825.
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ir para Cima